O olhar das representações indigenas sobre a sua saúde e a interface com o subsistema de saúde indigena

Maria Elvira Toledo, Maria Ferreira Bittencourt, Alexander Shankland, Hélio Barbin Jr.

Resumo


O movimento indígena acreano tem uma trajetória de mais de 20 anos, atuando em debates locais, regionais e nacionais sobre a política de saúde indígena; em mobilizações políticas para reivindicar direitos; participando das instâncias de controle social na saúde e atuando também na gestão de projetos com financiamento não governamental ou em parceira com o governo federal, através da administração terceirizada dos Distritos Sanitários Especiais Indígena (DSEIs). Apesar disso, na primeira década da implantação do Subsistema de Saúde Indígena, muitos obstáculos tiveram que ser enfrentados pelas associações indígenas para se apropriar dos meandros da política de participação e controle social e esforços foram investidos para melhorar sua participação neste setor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v7i4.1424



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________