Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/1235
Title: Avaliação antropométrica de crianças indígenas menores de 60 meses, a partir do uso comparativo das curvas de crescimento NCHS/1977 e OMS/2005
Other Titles: Anthropometric evaluation of indigenous Brazilian children under 60 months of age using NCHS/1977 and WHO/2005 growth curves
Authors: Orellana, Jesem D. Y.
Santos, Ricardo Ventura
Coimbra Junior, Carlos E. A.
Leite, Maurício S.
Affilliation: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Leônidas & Maria Deane. Manaus, AM, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional. Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Departamento de Nutrição. Florianópolis, SC, Brasil
Abstract: Objetivos: Descrever e analisar comparativamente os dados antropométricos de crianças indígenas Suruí, Xavánte e Wari’ menores de 60 meses, a partir dos conjuntos de curvas de crescimento NCHS/1977 e WHO/2005. Métodos: A antropometria seguiu técnica padronizada e os dados foram convertidos em escores z utilizando-se os programas Epi-Info (Versão 3.4) e WHO-Anthro (Versão Beta). Os índices estatura/idade (E/I), peso/idade (P/I) e peso/estatura (P/E) foram os descritores do estado nutricional em todas as crianças menores que 60 meses e também o índice de massa corporal (IMC) nas de 24-59 meses. Resultados: As prevalências de E/I < -2 escores z foram: crianças Suruí, 31,4 (NCHS/1977) e 38,6% (WHO/2005); Xavánte, 30,9 e 42,3%; Wari’, 61,7 e 68,3%. As prevalências de P/I < -2 escores z foram: crianças Suruí, 12,4 (NCHS/1977) e 8,5% (WHO/ 2005); Xavánte, 16,5 e 11,6%;Wari’, 51,7 e 45,0%. As prevalências de P/E < -2 escores z para as crianças Suruí foram nulas (NCHS/ 1977 e WHO/2005); para as Xavánte, 1,7 e 3,3%; e para as Wari’, 1,7% e nula. As prevalências de P/E > 2 escores z para as crianças Suruí foram 3,9 (NCHS/1977) e 3,9% (WHO/2005); Xavánte, nula e 0,8%;Wari’, nulas para ambas as curvas. Nas crianças Suruí de 24 a 59 meses o percentual com escore z>2 para oIMC foi de 5,4%(WHO/ 2005); Xavánte, 9,5%; Wari’, 0%. Conclusões: Há diferenças importantes nos resultados da avaliação nutricional, a depender do conjunto de curvas utilizadas, ainda que o emprego de ambas revele elevadas prevalências de desnutrição. Sugere-se que, inclusive para fins de comparabilidade, estudos com populações indígenas apresentem seus resultados utilizando os dois conjuntos de curvas de crescimento.
Keywords: Brasil
Índios Sul-Americanos
Região Norte
Saúde de Populações Indígenas
Mato Grosso
Região Amazônica
Epidemiologia
Região Centro-Oeste
Suruí
Rondônia
Desnutrição
Saúde da Criança
Xavante
Antropometria
Índice de Massa Corporal
Avaliação Nutricional
Wari´
Deficiências Nutricionais
Curvas de Crescimento
Suruí de Rondônia
Desenvolvimento Infantil
DeCS: Brasil
Saúde de Populações Indígenas
Índios Sul-Americanos
Ecossistema Amazônico
Saúde da Criança
Desnutrição
Epidemiologia
Antropometria
Índice de Massa Corporal
Curvas de Crescimento
Deficiências Nutricionais
Avaliação Nutricional
Issue Date: 2009
Publisher: Sociedade Brasileira de Pediatria
Citation: ORELLANA, Jesem D. Y.. et al. Avaliação antropométrica de crianças indígenas menores de 60 meses, a partir do uso comparativo das curvas de crescimento NCHS/1977 e OMS/2005. Jornal de Pediatria, v. 85, n. 2, p. 117-121, 2009.
metadata.dc.identifier.doi: 10.2223/JPED.1872 10.1590/S0021-75572009000200006
ISSN: 0021-7557
Copyright: open access
Appears in Collections:AN - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
101364162.pdf143.1 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.