Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/1291
Title: Estado nutricional dos indígenas Kaingáng matriculados em escolas indígenas do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil
Authors: Castro, Teresa Gontijo de
Schuch, Ilaine
Conde, Wolney Lisboa
Veiga, Juracilda
Leite, Maurício Soares
Dutra, Carmem Lucia Centeno
Zuchinali, Priccila
Barufaldi, Laura Augusta
Affilliation: Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Enfermagem. Belo Horizonte, MG, Brasil
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina, Porto Alegre, RS, Brasil
Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, Brasil.
Fundação Nacional do Índio. Brasília,DF, Brasil.
Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Nutrição. Florianópolis, SC, Brasil
Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Nutrição Josué de Castro. Rio de Janeiro,RJ, Brasil.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina, Porto Alegre, RS, Brasil
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina, Porto Alegre, RS, Brasil
Abstract: Caracterizar o estado nutricional de 3.254 Kaingáng de escolas indígenas de 12 terras indígenas do Rio Grande do Sul, Brasil. Transversal de base escolar. Obtidas medidas de peso (P), estatura (E) e circunferência da cintura (CC) conforme Organização Mundial da Saúde - OMS (1995). Classificação do estado nutricional: crianças: índices E/I, P/I e P/E, de acordo com o National Center for Health Statistics (WHO, 1995) e E/I, P/I e índice de massa corporal/idade (IMC/I) de acordo com OMS (2006); adolescentes: IMC/I (OMS, 1995 e 2006) e E/I (OMS, 2006); adultos: IMC (OMS, 1995) e CC (OMS, 2003). Adolescentes representaram 56% dos avaliados, crianças 42,5%, adultos 1,4% e idosos 0,1%. Deficit estatural de 15,1% (OMS, 1995) e 15,5% (OMS, 2006) entre as crianças e de 19,9% entre adolescentes. Freqüências de excesso de peso foram: crianças: 11% (OMS, 1995) e 5,7% (OMS, 2006); adolescentes: 6,7%; adultos: 79,2%. Entre adultos, 45,3% estavam em risco aumentado para doenças metabólicas. Observada a transição nutricional no segmento, caracterizada por prevalências importantes de baixa estatura na infância e adolescência e sobrepeso proeminente em todas as faixas etárias.
Keywords: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Epidemiologia
Região Sul
Desnutrição
Saúde da Criança
Antropometria
Kaingang
Rio Grande do Sul
Kaingáng
Estudos Epidemiológicos
Índice de Massa Corporal
Estado Nutricional
Avaliação Nutricional
Inquéritos Nutricionais
Sobrepeso e Obesidade
Deficiências Nutricionais
Baixa Estatura para Idade
Baixo Peso para Idade
Crescimento Infantil
Curvas de Crescimento
Saúde do Adolescente
Transição Nutricional
DeCS: Brasil
Saúde de Populações Indígenas
Índios Sul-Americanos
Epidemiologia
Desnutrição
Antropometria
Índice de Massa Corporal
Inquéritos Nutricionais
Crescimento Infantil
Estado Nutricional
Saúde do Adolescente
Curvas de Crescimento
Issue Date: 2010
Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Citation: CASTRO, Teresa Gontijo de; et al. Estado nutricional dos indígenas Kaingáng matriculados em escolas indígenas do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 26, n. 9, 2010. p. 1766-1776
metadata.dc.identifier.doi: 10.1590/S0102-311X2010000900010
ISSN: 1678-4464
Copyright: open access
Appears in Collections:AN - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
636525565.pdf114.65 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.