Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/1489
Title: Desigualdade social nas taxas de cesariana em primíparas no Rio Grande do Sul
Authors: Freitas, Paulo Fontoura
Drachler, Maria de Lourdes
Leite, José Carlos de Carvalho
Grassi, Paulo Recena
Affilliation: Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós Graduação em Saúde Pública. Centro de Ciências da Saúde. Florianópolis, SC, Brasil.
School of Allied Health Professions. Institute of Health. University of East Anglia. Norwich, UK
School of Allied Health Professions. Institute of Health. University of East Anglia. Norwich, UK
. Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul. Coordenadoria de Informações em Saúde. Porto Alegre, RS, Brasil
Abstract: Objetivo: Investigar o efeito das desigualdades sociais nas taxas de cesariana em primíparas, com gravidez única e parto hospitalar. Métodos: Estudo realizado no Estado do Rio Grande do Sul em 1996, 1998 e 2000. Foram utilizados dados do Sistema de Informação de Nascidos Vivos no cálculo das taxas anuais e das razões de chance de cesariana (RC) brutas e ajustadas para condições sociais (escolaridade e idade maternas, etnia/cor da pele e macro-regional de saúde), duração da gestação e número de consultas pré-natal. Resultados: A taxa de cesarianas foi de 45%, e acima de 37% para todas as macro-regionais. As taxas aumentaram entre: mulheres de etnia indígena e negra, mulheres com mais de 30 anos, residentes nas macro-regiões Metropolitana, Vales e Serra, e com mais de seis consultas no pré-natal. Razões brutas e ajustadas indicaram taxas negativamente associadas para todas as categorias de etnia/cor, quando comparadas à cor branca da pele do recém-nascido, em especial para etnia indígena (RCaj=0,43; IC 95%: 0,31-0,59), positivamente associadas à escolaridade (RCaj=3,52; IC 95%: 3,11-3,99) e idade maternas mais elevadas (RCaj=6,87; IC 95%: 5,90-8,00), e maior número de consultas pré-natal (RCaj=2,16; IC 95%: 1,99-2,35). Os efeitos de idade e escolaridade mostraram estar parcialmente mediados pelo maior número de consultas pré-natal nas mulheres com idade e escolaridade mais elevadas. As taxas variaram entre as macroregionais, sendo maiores na região da Serra, economicamente mais rica. Conclusões: Altas taxas de cesariana no sul do Brasil constituem problema de saúde pública e estão associadas a fatores sociais, econômicos e culturais, os quais podem levar ao mau-uso da tecnologia médica na atenção ao parto.
Keywords: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Epidemiologia
Região Sul
Rio Grande do Sul
Saúde da Mulher
Estudos Epidemiológicos
Desigualdades em Saúde
Sistemas de Informação em Saúde
Gravidez, Parto e Puerpério
Saúde Reprodutiva
DeCS: Brasil
Saúde de Populações Indígenas
Índios Sul-Americanos
Epidemiologia
Saúde da Mulher
Sistemas de Informação em Saúde
Desigualdades em Saúde
Gravidez, Parto e Puerpério
Issue Date: 2005
Publisher: Universidade de São Paulo
Citation: FREITAS, Paulo Fontoura; et al. Desigualdade social nas taxas de cesariana em primíparas no Rio Grande do Sul. Revista de Saúde Pública, v. 39, n. 5, p. 761-767, 2005.
ISSN: 1518-8787
Copyright: open access
Appears in Collections:EPI - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
605076016.pdf77.57 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.