Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/1504
Título: A cosmografia Munduruku em movimento: saúde, território e estratégias de sobrevivência na Amazônia brasileira
Autor(es): Scopel, Daniel
Scopel, Raquel Dias
Langdon, Esther Jean
Afiliação: Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Leônidas & Maria Deane. Manaus, AM, Brasil.
Fundação Oswaldo Cruz. Campo Grande, MS, Brasil
Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, Brasil
Resumo: Neste artigo, examina-se a perspectiva do povo Munduruku sobre o meio ambiente, bem como a relação do conhecimento e da práxis deste povo em relação à prevenção e à resolução de problemas de saúde. A ocupação do território, o uso de recursos disponíveis e a vida social implicam efeitos sobre os corpos Munduruku, na medida em que a manutenção dos laços sociais e a proteção do ambiente são consideradas por eles como condições necessárias para a reprodução da coletividade. A partir de uma perspectiva particular aos Munduruku sobre como funciona o cosmo e sobre a eficácia das práticas de autoatenção, necessárias à reprodução biossocial individual e coletiva, evidencia-se, neste artigo, a relação intrínseca entre ambiente e saúde, evocando a articulação entre as dimensões pragmáticas, sociais, ontológicas e políticas das estratégias de sobrevivência coletiva e de manutenção do território, desenvolvidas pelos Munduruku frente aos desafios, às lutas e às ameaças emergentes das situações cosmopolíticas e interétnicas. Por fim, argumenta-se que a política brasileira sobre os povos indígenas é contraditória, pois, por um lado, investe grandes recursos na assistência à saúde e, por outro, ignora os conhecimentos tradicionais sobre saúde e ambiente, de modo que a política de desenvolvimento econômico atua contra as necessidades plenas de bem-estar.
Palavras-chave: Amazonas
Brasil
Índios Sul-Americanos
Região Norte
Região Amazônica
Meio Ambiente
Etnografia
Medicina Tradicional
Munduruku
Xamanismo
Cosmologia
Pesquisa Qualitativa
Antropologia da Saúde
Saúde de Populações Indígenas
DeCS: Brasil
Saúde de Populações Indígenas
Índios Sul-Americanos
Ecossistema Amazônico
Medicina Tradicional
Antropologia da Saúde
Xamanismo
Antropologia Cultural
Data do documento: 2018
Editor: Museu Paraense Emílio Goeldi/Ministério da Ciência e Tecnologia
Referência: SCOPEL,Daniel: SCOPEL,Raquel Dias; LANGDON, Esther Jean. A cosmografia Munduruku em movimento: saúde, território e estratégias de sobrevivência na Amazônia brasileira.Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum. v.13, n.1, p. 89-108, 2018
DOI: 10.1590/1981.81222018000100005
ISSN: 2178-2547
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:ASMT - Artigos de Periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
448865952.pdf196.98 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.