Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/1516
Título: Avaliação antropométrica de adolescentes Kamayurá, povo indígena do Alto Xingu, Brasil Central (2000-2001)
Título(s) alternativo(s): Anthropometric assessment of Kamayurá adolescents in the Upper Xingu, Central Brazil (2000-2001)
Autor(es): Sampei, Miriam A.
Canó, Eduardo Nozaki
Fagundes, Ulysses
Lima, Evandro E. de Souza
Rodrigues, Douglas
Sigulem, Dirce Maria
Baruzzi, Roberto G.
Afiliação: Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. São Paulo, SP, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. São Paulo, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. São Paulo, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. São Paulo, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. São Paulo, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. São Paulo, SP, Brasil
Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva. São Paulo, Brasil
Resumo: Apesar da proximidade dos grupos indígenas do Alto Xingu com a sociedade, os estudos têm mostrado adequação do peso para estatura e déficit de estatura para idade das crianças desses povos. Em relação aos adolescentes, pouco se conhece sobre suas condições nutricionais. O presente estudo teve como objetivo avaliar o estado nutricional de adolescentes Kamayurá, valendo-se de variáveis antropométricas. As medidas de peso, estatura, pregas cutâneas e circunferências corporais foram coletadas de 65 adolescentes, sendo 31 indivíduos masculinos e 34 femininos. As médias de estatura em relação à idade foram menores do que aquelas encontradas na Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição e na população de referência do National Center for Health Statistics. Houve taxa elevada de sobrepeso no sexo masculino (38,7%) e no feminino (23,5%); a obesidade foi encontrada em uma adolescente (2,9%). Nenhum adolescente com sobrepeso apresentou ambas as pregas tricipital e subescapular acima do percentil 90. Não houve casos de déficit nutricional em adolescentes de ambos os sexos. Apesar da alta prevalência de sobrepeso, o estado nutricional dos adolescentes em estudo é adequado, dada a baixa adiposidade.
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Mato Grosso
Parque Indígena do Xingu
Região Amazônica
Epidemiologia
Região Centro-Oeste
Nutrição
Antropometria
Kamayurá
Estudos Epidemiológicos
Índice de Massa Corporal
Estado Nutricional
Avaliação Nutricional
Sobrepeso e Obesidade
Curvas de Crescimento
Inquéritos Nutricionais
Saúde do Adolescente
Doenças Crônicas não Transmissíveis
Circunferência da Cintura
Pregas Cutâneas
DeCS: Brasil
Saúde de Populações Indígenas
Índios Sul-Americanos
Ecossistema Amazônico
Epidemiologia
Nutrição
Antropometria
Índice de Massa Corporal
Doenças Crônicas não Transmissíveis
Data do documento: 2007
Editor: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Referência: SAMPEI, Miriam A.; et al. Avaliação antropométrica de adolescentes Kamayurá, povo indígena do Alto Xingu, Brasil Central (2000-2001). Cad. Saúde Pública, v. 23, n. 6, p. 1443-1453, 2007
DOI: 10.1590/S0102-311X2007000600019
ISSN: 0102-311X
Fonte da publicação anterior: 10.1590/S0102-311X2007000600019
0102-311X
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:AN - Artigos de Periódicos
EPI - Artigos de Periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
472608839.pdf104.67 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.