Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4473
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorLuna, Willian Fernandes-
dc.contributor.authorNordi, Aline Barreto de Almeida-
dc.contributor.authorRached, Karolina Saad-
dc.contributor.authorCorreia, Marcella Barros Alencar-
dc.contributor.authorCarvalho, Alice Ribeiro Viana de-
dc.contributor.authorMorais, Lenildo Filho Dias de-
dc.date.accessioned2021-07-12T15:38:05Z-
dc.date.available2021-07-12T15:38:05Z-
dc.date.issued2020-
dc.identifier.citationLUNA, Willian Fernandes; et al. Estudantes de Medicina em Roda: os Diálogos da Extensão Popular com os Indígenas Potiguara. Rev. bras. educ. med [online], v. 44, n. 3, p. e072, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbem/a/RSFfYJHFs5K64VPrYQdDCxQ/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 9 jul. 2021en_US
dc.identifier.urihttp://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4473-
dc.description.abstractIntrodução: A extensão universitária com populações excluídas socialmente pode ser uma estratégia na formação de profissionais sobre a diversidade cultural e social brasileira. A perspectiva da Educação Popular em Saúde (EPS) nesse contexto é uma das possibilidades para fomentar interações dialógicas entre ensino e comunidade, favorecendo espaço para o desenvolvimento da formação em saúde com compromisso social. O Projeto de Extensão Îandé Gûatá surge em 2013, na Paraíba, a partir dos princípios da EPS e da Extensão Popular, com foco no encontro entre indígenas Potiguara e estudantes de Medicina. Esta pesquisa objetivou avaliar os aprendizados construídos pelos extensionistas desse projeto em sua formação médica. Método: Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa com abordagem qualitativa a partir dos referenciais teórico-metodológicos das práticas discursivas. Utilizou-se a técnica da roda de conversa para construção de dados, realizada no momento de encerramento do ciclo do projeto. Para análise do material, foram identificados repertórios linguísticos a partir das falas dos sujeitos com construção de três conjuntos de sentidos: a extensão universitária como espaço contra-hegemônico de formação médica; o desenvolvimento de competências gerais para o futuro profissional de saúde; o encontro entre diferentes culturas nas vivências da extensão. Os repertórios linguísticos foram discutidos com base em referenciais teóricos de EPS, saúde indígena e competências na educação médica. Resultados: Nas falas dos estudantes, o projeto permitiu ganhos nos seguintes atributos: conhecimento, porque permitiu reflexões, identificação de lacunas e maior entendimento sobre o processo saúde-doença no contexto da população indígena; habilidades de fazer e receber críticas, de trabalho em equipe e de diálogo entre culturas diferentes; e atitudes, ampliando a postura do profissionalismo, a compreensão e a ação perante as questões éticas e sociais. Conclusões: Dessa forma, destacam não somente o desenvolvimento de competências gerais para o futuro médico, mas também as mais específicas, como a competência cultural. Além disso, enfatizam o desafio de dialogar na polaridade, de modo a diminuir as distâncias dentro do mesmo espaço institucional e do conflito cultural, e promover a compreensão e ação numa educação emancipatória. Esse coletivo de estudantes esperançou com a comunidade indígena a aproximação dessas distâncias, num compromisso coletivo de produzir mudança e transformação social.en_US
dc.language.isoporen_US
dc.publisherAssociação Brasileira de Educação Médicaen_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subject.otherEducação Popularen_US
dc.subject.otherExtensão Comunitáriaen_US
dc.subject.otherParaíbaen_US
dc.subject.otherRegião Norteen_US
dc.subject.otherRegião Amazônicaen_US
dc.titleEstudantes de Medicina em Roda: os Diálogos da Extensão Popular com os Indígenas Potiguaraen_US
dc.title.alternativeMedical Students in a Talking Circle: the Popular Extension Dialogues with Potiguara Indigenous Peopleen_US
dc.typeArticleen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de São Carlos. São Carlos, São Paulo, Brasil.en_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de São Carlos. São Carlos, São Paulo, Brasil.en_US
dc.creator.affilliationSecretaria Municipal de Saúde de Osasco. Osasco, São Paulo, Brasil.en_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal da Paraíba. João Pessoa, Paraíba, Brasil.en_US
dc.creator.affilliationSecretaria Municipal de Saúde de Cabedelo. Cabedelo, Paraíba, Brasil.en_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal da Paraíba. João Pessoa, Paraíba, Brasil.en_US
dc.identifier.doiDOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.3-20190343-
dc.subject.decsBrasilen_US
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenasen_US
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanosen_US
dc.subject.decsCompetência Culturalen_US
dc.subject.decsEducação Médicaen_US
Appears in Collections:TR - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
006 Estudantes de Medicina em Roda_os Diálogos da Extensão Popular.pdf149.87 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.