Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4476
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMendes, Anapaula Martins-
dc.contributor.authorAlfonso, Jose-Oriol Romani-
dc.contributor.authorLangdon, Esther Jean-
dc.contributor.authorGrisotti, Marcia-
dc.contributor.authorMartínez-Hernáez, Angel-
dc.date.accessioned2021-07-12T16:26:22Z-
dc.date.available2021-07-12T16:26:22Z-
dc.date.issued2020-05-
dc.identifier.citationMENDES, Anapaula Martins et al. Representações e práticas de cuidado dos profissionais da saúde indígena em relação ao uso de álcool. Ciência & Saúde Coletiva [online]. v. 25, n. 5 , p. 1809-1818, maio 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/6BjYjt8DDPBcqPRjrP5TKMC/?lang=pt#. Acesso em: 9 jul. 2020en_US
dc.identifier.urihttp://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4476-
dc.description.abstractA saúde indígena no Brasil está regulamentada pelo subsistema de saúde indígena, estruturado a partir do Sistema Único de Saúde e descrito na Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. O uso do álcool tem sido visto como um problema entre povos indígenas. Nesse artigo descrevemos as representações atribuídas por profissionais de saúde em relação ao uso do álcool entre indígenas e como estas influenciam nas práticas de cuidado. Estudo descritivo baseado em entrevistas e observação participante por inserção etnográfica. Análise e interpretação se deu com apoio do Software Atlas TI 8.0. O uso do álcool é observado como problemático pelos profissionais, e o consumo excessivo é reproduzido em contextos específicos. Os modos de beber variam de acordo com a etnia, religião e local, e isso resulta na descrição da necessidade de desenvolver competências culturais que apoiariam na execução de ações efetivas e contemplassem a construção coletiva prevista nas políticas. Uma rede de apoiadores é descrita, dentre eles, as lideranças, curadores tradicionais e a igreja evangélica. O estudo mostra as dificuldades na efetivação das políticas e na implementação de ações que correspondam às expectativas dos povos indígenas, reconhecendo as lógicas culturais e sociais relacionadas ao uso do álcoolen_US
dc.language.isoporen_US
dc.publisherAssociação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco)en_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subject.otherUso de Álcoolen_US
dc.titleRepresentações e práticas de cuidado dos profissionais da saúde indígena em relação ao uso de álcoolen_US
dc.typeArticleen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Florianópolis, SC, Brasilen_US
dc.creator.affilliationUniversitat Rovira i Virgili. Medical Anthropology Research Center. Tarragona, Espanhaen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Santa Catarina. Departamento Antropologia. Florianópolis, SC, Brasilen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Santa Catarina. Departamento de Sociologia e Ciência Política. Florianópolis, SC, Brasilen_US
dc.creator.affilliationUniversitat Rovira i Virgili. Medical Anthropology Research Center. Tarragona, Espanhaen_US
dc.description.abstractenIndigenous people’s health in Brazil is organized by the indigenous health subsystem, structured according to that of SUS, and described in the National Policy for Health Care of Indigenous Peoples. Alcohol consumption has been regarded as a health issue among indigenous peoples. In this paper, we describe the representations attributed by health professionals concerning alcohol use among indigenous peoples, and how these influence care practices. This is a descriptive ethnographic study based on interviews and participant observation. Analysis and interpretation were made with the support of Software Atlas TI 8.0. Excessive consumption occurs in specific contexts, and professionals view alcohol use as a problem. Drinking patterns vary with ethnicity, religion, and location, thus resulting in the need to develop cultural competencies that support implementation of effective actions and that also allow for collective construction, as stipulated in the policies. A network of supporters is described, among which are indigenous leaders, traditional healers, and the Evangelical Church. The study shows the difficulties of both carrying out policies and implementing actions which correspond to the indigenous peoples’ expectations, recognizing the cultural and social rationale related to alcohol useen_US
dc.identifier.doihttps://doi.org/10.1590/1413-81232020255.34442019-
dc.subject.decsBrasilen_US
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenasen_US
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanosen_US
dc.subject.decsPolítica de Saúdeen_US
dc.subject.decsAlcoolismoen_US
dc.subject.enHealth of Indigenous Peoplesen_US
dc.subject.enHealth Policyen_US
dc.subject.enAlcoholismen_US
dc.subject.enIndians, South Americanen_US
Appears in Collections:PSSI - Artigos de Periódicos



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.