Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4957
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLuciani, José Kelly-
dc.contributor.authorSilva, Rafael Moreira Serra da-
dc.date.accessioned2021-10-06T13:19:12Z-
dc.date.available2021-10-06T13:19:12Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationSILVA, Rafael Moreira Serra da. Signos de pobreza: Uma etnografia dos Hupd'äh e dos benefícios no Alto Rio Negro. 2017, 252 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017en_US
dc.identifier.urihttp://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/4957-
dc.description.abstractEsta dissertação tematiza o recente acesso da etnia Hupd’äh da região do alto rio Negro, no estado do Amazonas (Brasil), às políticas de inclusão social e cidadania do governo federal. Em especial à rede socioassistencial e ao programa Bolsa Família (PBF), - um benefício social de mitigação de desigualdades socioeconômicas -, ambas as políticas sob a responsabilidade do então Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS). Esta etnografia faz o exame tanto da elaboração e execução dessas políticas públicas a partir das articulações interinstitucionais envolvendo a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e o MDS, quanto investiga a relação dos indígenas Hupd´äh com a burocracia para acessar a documentação básica e os benefícios sociais no município amazonense de São Gabriel da Cachoeira. Desde o poder público, objetivo analisar a gestão dessas políticas dentro do Estado multicultural, e como isso afeta o ordenamento estatal segundo o princípio da impessoalidade administrativa, que fundamenta-se menos no tratamento da diferença do que da indiferenciação entre os cidadãos. A partir da literatura etnológica, discuto a relação desses indígenas com o poder público tomando como fio condutor as teorias elaboradas por Jorge Pozzobon (2011) sobre “mestiçagem de conceitos”, que entendo como um conjunto de imagens de pobreza e carência atribuída historicamente a essa população indígena, e a nonchalance (Pozzobon, 2011; Marques, 2011: XXIX), o caráter avesso a protocolos e planejamentos pelo qual os Hupd´äh foram definidos. Por fim, com esse exercício etnográfico viso problematizar a disposição anti-burocrática desse povo, e a interpretação da administração do Estado como uma entidade ordenada e regrada exclusivamente pela impessoalidadeen_US
dc.language.isoporen_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subject.otherAmazonasen_US
dc.subject.otherRegião Norteen_US
dc.subject.otherRegião Amazônicaen_US
dc.subject.otherHupd'ähen_US
dc.titleSignos de pobreza: Uma etnografia dos Hupd'äh e dos benefícios sociais no Alto Rio Negroen_US
dc.typeDissertationen_US
dc.contributor.advisorcoDetourche, Jeremy Paul Jean Loup-
dc.creator.affilliationUniversidade Federal de Santa Catarina. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Florianópolis, SC, Brasilen_US
dc.degree.departmentCentro de Filosofia e Ciências Humanasen_US
dc.degree.grantorUniversidade Federal de Santa Catarinaen_US
dc.degree.date2017-
dc.degree.localFlorianópolisen_US
dc.degree.levelMestrado Acadêmicoen_US
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Antropologia Socialen_US
dc.subject.decsBrasilen_US
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenasen_US
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanosen_US
dc.subject.decsPolítica Públicaen_US
dc.subject.decsAntropologia Culturalen_US
Appears in Collections:ASMT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Signos_de_pobreza_uma_etnografia_dos_Hup.pdf2.76 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.