Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/5086
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorAssumpção, Karine-
dc.date.accessioned2021-11-08T20:21:12Z-
dc.date.available2021-11-08T20:21:12Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationASSUMPCÃO, Karine. Sobre obstrução intestinal, ingá e o espírito do veado: algumas reflexões sobre a relação interétnica entre indígenas e profissionais do Projeto Xingu. Equatorial , v. 4, n. 7, p. 45-63, 2017.en_US
dc.identifier.issn2446-5674-
dc.identifier.urihttp://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/5086-
dc.description.abstractNeste trabalho, convido-os a refletir sobre as relações de cura em saúde indígena a partir do relato do Dr. Douglas Rodrigues, médico que trabalha há quase quatro décadas com populações indígenas. Com base em sua narração de um trabalho terapêutico, realizado paralelamente a um pajé xinguano, abordar-se-á o limiar entre salvar vidas e salvar (respeitar) a diversidade cultural. Este relato ocorreu durante minha pesquisa de mestrado junto ao Projeto Xingu, um programa de extensão do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina (Universidade Federal de São Paulo), existente desde 1965 e presente prioritariamente na Terra Indígena Xingu (região centro-oeste do Brasil). Com base nos ensinamentos tirados de experiências como a narrada por Douglas, foi possível notar que os profissionais há mais tempo no Projeto transitam de um a outro lado dessa limiaridade através do conceito ampliado de saúde e de bem-estar (cultural), compartilhando códigos que os ajudam a controlar equívocos e negociar curas. Pelo Projeto Xingu ser pioneiro na realização de ações e formações em saúde indígena no Brasil, colaborando com a criação do Subsistema de Saúde Indígena brasileiro de 1999, e por seu caráter permanente e engajado, insta refletir sobre as experiências e aprendizados acumulados por esse grupo. Essa reflexão contribui para o debate sobre as possibilidades e limites do compartilhamento da cura e para reforçar olhares mais matizados sobre os profissionais da saúde que atuam nestes contextos.en_US
dc.language.isoporen_US
dc.publisherPrograma de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norteen_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subject.otherProjeto Xinguen_US
dc.subject.otherRelação de Curaen_US
dc.subject.otherMato Grossoen_US
dc.subject.otherRegião Amazônicaen_US
dc.subject.otherRegião Centro-Oesteen_US
dc.titleSobre obstrução intestinal, ingá e o espírito do veado: algumas reflexões sobre a relação interétnica entre indígenas e profissionais do Projeto Xinguen_US
dc.typeArticleen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, Brasilen_US
dc.subject.decsBrasilen_US
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenasen_US
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanosen_US
dc.subject.decsAssistência à Saúde Culturalmente Competenteen_US
Appears in Collections:AS - Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
638854138.pdf571.91 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.