Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/5872
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAzevedo, Marta Maria do Amaral-
dc.contributor.authorEstanislau, Bárbara Roberto-
dc.date.accessioned2022-01-18T12:43:24Z-
dc.date.available2022-01-18T12:43:24Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationESTANISLAU, Bárbara Roberto. A eterna volta: migração indígena e Pankararu no Brasil. 2014. 134 f. Dissertação (Mestrado em Demografia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2014en_US
dc.identifier.urihttp://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/5872-
dc.description.abstractA migração indígena é um fenômeno pouco estudado no âmbito demográfico, até pela dificuldade de se obter dados, visto que os indígenas só começaram a ser contabilizados a partir de 1991. Este trabalho utiliza os Censos Demográficos brasileiros de 2000 e 2010 para traçar um panorama da migração dos autodeclarados indígenas no Brasil, por grande região - Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Percebe-se que há um grande fluxo migratório dentro das próprias grandes regiões e também em direção ao Sudeste, em especial, proveniente do Nordeste. Assim, em seguida, utiliza-se o fluxo migratório Pankararu entre Pernambuco e São Paulo como estudo de caso, a fim de descobrir as nuances deste fenômeno migratório. Dentre as conclusões obtidas, percebe-se que esse deslocamento espacial é feito de maneira a ser uma eterna volta ao outro lugar, Nordeste ou Sudeste, como uma eterna migraçãoen_US
dc.language.isoporen_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subject.otherPankararuen_US
dc.subject.otherRegião Nordesteen_US
dc.subject.otherPernambucoen_US
dc.titleA eterna volta: migração indígena e Pankararu no Brasilen_US
dc.typeDissertationen_US
dc.creator.affilliationUniversidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, Brasilen_US
dc.degree.grantorUniversidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciencias Humanasen_US
dc.degree.date2014-
dc.degree.localCampinas, SPen_US
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Demografiaen_US
dc.description.abstractenThe indigenous migration is a little-studied phenomenon in its demographic context, mostly because of the difficulty of obtaining data, since the indians first started to be officially counted in 1991. This work uses the Brazilian Demographic Censuses of 2000 and 2010 to produce an overview of the self-declared indigenous people’s migration in Brazil, by macro region – namely North, Northeast, Southeast, South and Midwest. This study shows that there is a large migration within each macro region itself and also towards the Southeast, in particular from the Northeast. Thus the Pankararu people’s migration between the state of Pernambuco and São Paulo is used as a case study in order to discover the nuances of this migratory phenomenon. One of the conclusions drawn is that their space displacement creates an eternal return to the other location, be it Northeast or Southeast, generating an eternal migration.en_US
dc.subject.decsBrasilen_US
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenasen_US
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanosen_US
dc.subject.decsDemografiaen_US
dc.subject.decsMigração Humanaen_US
Appears in Collections:DCS - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
318968925.pdfA eterna volta : migração indígena e Pankararu no Brasil1.65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.