Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/620
Title: Corpos, culturas e alteridade em fronteiras: educação escolar e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e da Aids entre indígenas da Reserva Kadiwéu, Mato Grosso do Sul - Brasil
Advisor: Cortez, Maria Cecília
Authors: Maciel, Léia Teixeira Lacerda
Abstract: A presente pesquisa tem por finalidade apresentar uma análise acerca dos pressupostos filosóficos, educacionais, psicológicos e históricos contidos no projeto Viver nas aldeias com saúde: conhecer e prevenir Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Aids. Essa iniciativa foi realizada com os discentes do Curso de Formação de Professores Kadiwéu e Kinikinau de Mato Grosso do Sul, no período de novembro de 2003 a fevereiro de 2004, na Reserva Indígena Kadiwéu oferecido pela Escola Municipal Indígena Ejiwajegi Pólo e Extensões, vinculada à Prefeitura Municipal de Porto Murtinho. A participação nesse projeto, bem como as reflexões dele decorrentes, possibilitou-me conhecer as concepções dessas sociedades indígenas a respeito de corpo e sexualidade; saúde e doença; prevenção, tratamento e comunidade; contribuindo, dessa forma, para o aprimoramento das políticas públicas destinadas a essa população. Para aprofundar as bases do projeto mencionado, tive de retornar ao início do século XX, pois foi a partir da criação do Serviço de Proteção aos Índios e Localização de Trabalhadores Nacionais (SPILTN, posteriormente Serviço de Proteção aos Índios SPI), em 1910, que se iniciaram as experiências sistemáticas de escolarização dos grupos indígenas do país. Nesse exercício de sistematização, apresentarei a produção acadêmica a respeito do tema, problematizando-a, a partir de obras que considero significativas no contexto científico. Os Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram escolhidos para análise, pois neles se concentram os grupos indígenas com experiências em práticas educativas. A pesquisa foi desenvolvida por meio de fontes diversificadas escritas, iconográficas e orais além da análise de documentos provenientes, sobretudo, de missões religiosas e do órgão indigenista oficial (primeiramente SPI e posteriormente Funai Fundação Nacional do Índio). Os dados coletados no conjunto das Oficinas de Prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e da Aids foram analisados a partir de referenciais teóricos provenientes da antropologia, assim como das teorias que se debruçam sobre as representações sociais da doença, a partir de estudos da história indígena, da educação e da psicologia social. O eixo central da prevenção das DST/Aids está na sexualidade e na intimidade de homens e mulheres. Isso implica desvelar todo o núcleo cultural das etnias estudadas. O aprender a proteger-se passa pela linguagem e pela estruturação do discurso da temática preventiva. A escola é uma mediadora em potencial; afinal, trata-se de um espaço universal de produção de saberes e conhecer as formas de disseminação do HIV é também uma das maneiras de aprender a se proteger, não só do Outro, mas, sobretudo de si e do seu próprio desejo.
Keywords: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Centro-Oeste
Mato Grosso do Sul
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Terena
AIDS
Educação
Kadiwéu
Kinikinau
DeCS: Doenças Sexualmente Transmissíveis
AIDS
Educação
Saúde de Populações Indígenas
Issue Date: 2009
Citation: MACIEL, Léia Teixeira Lacerda. Corpos, culturas e alteridade em fronteiras: educação escolar e prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis e da Aids entre indígenas da Reserva Kadiwéu, Mato Grosso do Sul - Brasil. 2009. 246 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009
Place of defense: São Paulo/SP
Defense institution: Universidade de São Paulo
Copyright: open access
Appears in Collections:TR - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
717409474.pdf2.58 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.