Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/621
Title: Investigação sorológica e clínica de auto-anticorpos em indígenas Kaingang e Guarani, da Reserva de Mangueirinha, do estado do Paraná /
Advisor: Messias, Iara José Taborda de
Authors: Ribas, João Luiz Coelho
Co-advisor: Utiyama, Shirley Ramos da Rosa
Abstract: As doenças autoimunes apresentam alta prevalência e gravidade em diferentes populações indígenas do mundo, e a pesquisa de auto-anticorpos, por sua vez, constituem-se num instrumento valioso no seu diagnóstico e monitoramento. O presente estudo teve por objetivo realizar um amplo perfil de autoanticorpos na população de índios Kaingang, Mestiços e Guarani da Reserva de Mangueirinha, Estado do Paraná, visando determinar a prevalência dos mesmos nas populações estudadas e associar com dados demográficos, epidemiológicos, hábitos individuais (tabagismo e etilismo) e dados clínicos dos indivíduos. Foram analisadas amostras de soro de 321 índios (125♂ e 196♀; 4-86 anos), sendo 158 Kaingang, 65 Mestiços e 98 Guarani, bem como 180 indivíduos não indígenas. Os anticorpos anti-músculo liso (AML), anti-mitocôndria (AMA), anti-microsoma de fígado e rim (LKM), anti-célula gástrica parietal (CGP), anti-nuclear (FAN) e antiendomísio (EmA-IgA) foram testados por imunofluorescência indireta (IFI), e o fator reumatóide (FR) por aglutinação em látex e turbidimetria. As amostras positivas para o FAN também foram testadas para o anticorpo anti-DNA, anti-Sm, anti-RNP, antiSS-A/Ro e anti-SS-B/La. Os resultados obtidos mostraram aumento significativo na freqüência total de auto-anticorpos: na população indígena em relação à não indígena (p=0,048); nos Kaingang comparados aos Guarani (p<0,001) e nãoindígenas (p=0,001). Resultados significantes também foram observados entre mestiços em relação aos Guarani (p=0,009) e não-indígenas (p=0,049). O FR foi superior nos Kaingang quando comparados aos Guarani (p=0,009), aos Mestiços (p=0,061) e aos não indígenas (p=0,010). O AML também apresentou aumento nos Mestiços em relação aos Guarani e não indígenas (p≤ 0,044). Não se observou diferença significativa na freqüência total de auto-anticorpos com relação ao sexo, entre os grupos investigados, porém um aumento significativo do FR foi observado nas mulheres Kaingang em relação aos homens (p=0,002). Entre as mulheres, um aumento significativo no total de auto-anticorpos foi detectado nas Kaingang e Mestiças quando comparadas com as Guarani (p≤ 0,039), estando o AML aumentado nas Mestiças em relação às não-indígenas (p=0,014) e o FR nas Kaingang em relação às Mestiças e Guarani (p≤ 0,008). Com relação à idade, diferenças significantes foram detectadas na faixa de 19-50 anos (Kaingang vs Guarani, p=0,006 e não-indígenas, p=0,006; Mestiços vs Guarani, p=0,046). Essas diferenças mantiveram-se somente para o sexo feminino. A análise dos dados soroepidemiológicos caracterizou associação apenas do anticorpo anti-HBc com a presença de auto-anticorpos na população Mestiça (p=0,018). Não foi evidenciada relação entre a presença de auto-anticorpos e o etilismo e tabagismo nas populações estudadas, enquanto no aspecto ocupacional os dados sugerem uma relação das atividades agrícolas com a presença de auto-anticorpos em Mestiços e Kaingang. A associação clínico-laboratorial confirmou artritre reumatóide em 2 indivíduos Kaingang, sendo que outros 2 (FR positivos) permanecerão em acompanhamento clínico, assim como 2 Mestiços (FR positivo e anti-CGP). As diferenças observadas entre as populações em estudo sugerem influência de fatores genéticos, hormonais e ambientais no desenvolvimento de auto-anticorpos nessas populações.
Keywords: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Epidemiologia
Paraná
Região Sul
Guarani
Kaingang
Imunologia
Estudos Epidemiológicos
DeCS: Saúde de Populações Indígenas
Epidemiologia
Imunologia
Estudos Epidemiológicos
Issue Date: 2007
Citation: RIBAS, João Luiz Coelho. Investigação sorológica e clínica de auto-anticorpos em indígenas Kaingang e Guarani, da Reserva de Mangueirinha, do estado do Paraná /. 2007. f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Setor de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007
Place of defense: Curitiba
Defense institution: Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde
Copyright: open access
Appears in Collections:EPI - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
852656509.pdf3.16 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.