Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/661
Título: Caracterização da infecção por papilomavírus humano em indígenas do extremo norte da amazônia brasileira: comparação entre etnias indígenas isoladas e integradas à sociedade ocidental
Orientador: Ferreira, Luiz Carlos de Lima
Autor(es): Fonseca, Alex Jardim da
Coorientador: Miranda, Angélica Espinosa Barbosa
Resumo: As mulheres indígenas da região amazônica apresentam algumas das maiores taxas de incidência de câncer de colo do útero no mundo. O objetivo do estudo foi avaliar a citologia cervicovaginal e a infecção por papilomavírus humano (HPV) em mulheres indígenas que diferem em estilo de vida e nível de interação com a sociedade ocidental. Mulheres Yanomami vivem isoladas na Amazônia com um estilo de vida de caçadores/coletores da floresta tropical. Mulheres Macuxi e Wapichana vivem em proximidade com a sociedade ocidental. Para selecionar um grupo representativo de mulheres de cada distrito indígena, foi utilizada amostragem aleatória, considerando cada polo base registrado como um conglomerado amostral. Amostras cervicais foram coletadas para citologia e detecção e tipagem de HPV por PCR e next generation sequencing. O estudo foi aprovado pela CONEP e pelos líderes tribais. Um total de 664 mulheres nativas foram incluídas de 13 aldeias indígenas, com uma taxa de participação de 76%. Mulheres Yanomami apresentaram maior prevalência de citologia anormal (5,1% vs. 1,8%, p = 0,04) e de infecção por HPV de alto risco (34,1% vs. 19,2%, p < 0,001). Mulheres Yanomami com mais de 35 anos de idade foram significativamente mais propensas a ter HPV de alto risco, enquanto as mulheres menos de 35 anos não diferiram significativamente entre os grupos. Os tipos de HPV mais prevalentes em todo o grupo foram HPV31 (8,7%), HPV16 (5,9%) e HPV 18 (4,4%). Conclui-se que as mulheres Yanomami, nativas e isoladas, foram mais propensas a ser HPV + e as prevalências aumentaram com a idade. Estudos sobre HPV em povos isolados sugerem que a persistência da infecção a longo prazo seja uma característica dos seres humanos pré-históricos, e que os padrões refletindo diminuição da prevalência com a idade observados na sociedade ocidental represente uma mudança recente na história humana. Este estudo tem implicações para a prevenção do câncer de colo do útero e o entendimento do relacionamento vírus-hospedeiro
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Amazônica
Saúde da Mulher
Serviços de Saúde do Indígena
Neoplasias do Colo do Útero
HPV
Infecções por Papillomavirus
DeCS: Saúde de Populações Indígenas
Região Amazônica
Saúde da Mulher
Serviços de Saúde do Indígena
Neoplasias do Colo do Útero
HPV
Infecções por Papillomavirus
Data do documento: 2015
Referência: FONSECA, Allex Jardim da. Caracterização da infecção por papilomavírus humano em indígenas do extremo norte da amazônia brasileira: comparação entre etnias indígenas isoladas e integradas à sociedade ocidental. 2015. 68 f. Tese Doutorado em Doenças Tropicais e Infecciosas) - Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado, Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, 2015
Local de defesa: Manaus/AM
Instituição de defesa: Universidade do Estado do Amazonas - Fundação de Medicina Tropical
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:PSSI - Teses de Doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
449978991.pdf1.88 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.