Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/677
Título: Saberes, espaço e recursos em saúde: práticas de autoatenção frente aos adoecimentos em crianças Kaingáng da terra indígena Xapecó, Santa Catarina
Orientador: Diehl, Eliana Elisabeth
Autor(es): Oliveira, Ewerton Aires de
Resumo: Amparado por um referencial teórico da antropologia da saúde, que destaca os elementos envolvidos no processo saúde-doença-atenção a partir da perspectiva dos sujeitos e grupos sociais, e por uma metodologia qualitativa, esse trabalho buscou identificar as atividades de autoatenção nos adoecimentos em crianças Kaingáng da Terra Indígena Xapecó (TIX), oeste de Santa Catarina. Os dados foram obtidos de setembro a dezembro de 2011, por meio de observação participante, entrevistas semiestruturadas, narrativas e conversas informais em três aldeias da TIX. Os resultados indicam que não há um único fator determinante no modo como esse grupo entende, diagnostica, vivencia e lida com as situações envolvendo alterações no estado de saúde das crianças, mas que existem vários fatores que exercem, recebem influência uns dos outros e determinam em que circunstâncias serão realizados encaminhamentos e o quê, como, por quem e onde será feito o encaminhamento. Ao mesmo tempo, esse conjunto de fatores recebe influência de um elemento principal, que são as maneiras como o grupo percebe o processo do adoecer, podendo ora aproximar-se, ora distanciar-se do que a biomedicina entende como doença. As atividades de autoatenção do grupo nas situações ligadas à saúde e ao adoecimento das crianças incluem os espaços do domicílio, da unidade básica de saúde (“postinho da aldeia”) e das igrejas. A escolha do(s) espaço(s) vai depender de uma série de fatores, entre os quais estão: o tempo de ação e da eficácia do recurso utilizado; o tipo de agravo; a relação ou não com pessoas conhecedoras de “remédios caseiros”, benzimentos e outras práticas curativas; e a orientação religiosa (basicamente dividida em ser crente ou ser católico), que determina diferentes tipos de recursos. Essa pesquisa traz elementos que dialogam com a noção de que as atividades de autoatenção desenvolvidas pelo grupo frente aos adoecimentos não são atos isolados, mas fazem parte de um processo amplo que envolve encontros, desencontros, aproximações, distanciamentos, apropriações, negociações e trocas entre as diferentes formas disponíveis de atenção à saúde. Estudos sob essa abordagem, que buscam apreender o ponto de vista dos sujeitos e grupos sociais, têm potencial contribuição para readequar e redirecionar as ações e serviços de saúde, bem como trazem elementos importantes para a capacitação dos trabalhadores em saúde.
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Sul
Recursos em Saúde
Santa Catarina
Kaingang
Estudo epidemiológico
DeCS: Saúde de Populações Indígenas
Recursos em Saúde
Epidemiologia
Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade
Data do documento: 2012
Referência: OLIVEIRA, Ewerton Aires de. Saberes, espaço e recursos em saúde: práticas de autoatenção frente aos adoecimentos em crianças Kaingáng da terra indígena Xapecó, Santa Catarina. 2012. 156 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva)- Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012
Local de defesa: Florianópolis/SC
Instituição de defesa: Universidade Federal de Santa Catarina
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:AS - Dissertações de Mestrado
DIP - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
220137982.pdf4.28 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.