Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/700
Título: Os Itinerários Terapêuticos do Povo Iny-Karajá das Aldeias Buridina e Bdè-Burè de Aruanã (GO)
Orientador: Silva, Telma Camargo da
Autor(es): Correa, Jacqueline Isabel Ledesma
Resumo: Neste trabalho de dissertação propõe-se conhecer e interpretar as estratégias de resolução dos processos de saúde e doença do povo Iny- Karajá, que mora em aldeias no município de Aruanã del Estado de Goiás, na região Centro Oeste do Brasil. O eixo referencial teórico apoia-se em duas categorias teórico-metodológicas; o conceito de Itinerários terapêuticos definidos em antropologia como: o caminho realizado pela pessoa para obter soluções à doença e o sofrimento em saúde que padece (LANGDON, 2007; LAGO et al., 2010; CABRAL et al., 2011). O outro conceito teórico e metodológico que nutre este trabalho é a do sofrimento social (VICTORA, 2011; KLEINMAN et al., 1997; CAMARGO, 2004, 2009, 2012; DAS, 2009). O sofrimento é um processo complexo inerente à vida humana, possível de ser interpretado com um contexto antropológico, como uma experiência política contextualizada que configura um processo social corporificado em sujeitos históricos (VICTORA, 2011). Ambas perspectivas de trabalho permitem integrar e amplificar diversos campos de problematicidade e condições de vida das pessoas, ao momento de realizar uma etnografia que trata da saúde e a doença. Lós itinerários terapêuticos compõem-se de vozes múltiplas, motivo pelo qual o recorte empírico convoca: mães e pais Iny-Karajá e os agentes de saúde que trabalham no Sistema de Atenção em Saúde Indígena (SASI). Os cenários de labor etnográficos compreenderam: as Aldeias Buridina e Bdè-Brè; o posto de Saúde Indígena, o Hospital Municipal e o Centro de Saúde da cidade de Aruanã, além da Casa de Saúde do Índio (CASAI) situada na cidade de Goiânia. Os objetivos do trabalho foram pesquisar mediante narrativas orais e visuais dois questionamentos que estão associados profundamente: como acedem e se relacionam os povoadores Iny de Aruanã com as alternativas e recursos oferecidos pelas políticas públicas em relação à saúde indígena; e quais são os significados dados pelos Iny às problemáticas de saúde e doença. Este estudo se enquadra dentro do campo da Antropologia da Saúde e a Doença e na área de problematicidade da Saúde Indígena
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Centro-Oeste
Etnografia
Goiás
Medicina Tradicional
Serviços de Saúde do Indígena
Política de Saúde Indígena
Itinerários Terapêuticos
Iny Karajá
DeCS: Saúde de Populações Indígenas
Etnografia
Medicina Tradicional
Serviços de Saúde do Indígena
Data do documento: 2014
Referência: CORREA, Jacqueline Isabel Ledesma. Os Itinerários Terapêuticos do Povo Iny-Karajá das Aldeias Buridina e Bdè-Burè de Aruanã (GO). 2014. 245 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014
Local de defesa: Goiânia/GO
Instituição de defesa: Universidade Federal de Goiás
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:ASMT - Dissertações de Mestrado
PSSI - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
884819230.pdf13.6 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.