Please use this identifier to cite or link to this item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/788
Title: Encontro com o povo Sateré-Mawé para um diálogo intercultural sobre a loucura
Advisor: Caldama, Regina Helena Lima
Authors: José, Ermelinda do Nascimento Salem
Abstract: Esta pesquisa originou-se do encontro com o Povo Sateré-Mawé da Área Indígena do Marau e de um diálogo que iniciamos com os professores dessa etnia, que visitaram as pessoas internas no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro (CPER), em Manaus/AM, junto às quais desenvolvemos um trabalho de extensão da Universidade Federal do Amazonas. Indagados sobre a loucura no contexto em que vivem, eles negaram sua existência. Decidimos registrar e ampliar, para outros Sateré-Mawé, o diálogo que havíamos iniciado com os professores. Tendo em vista os múltiplos sentidos com que a loucura é evocada na tradição cultural ocidental, definimos a mesma como a manifestação de experiências nomeadas, em um ponto de vista da prática clínica médico-psicológica, como alucinações, delírios, quadros de agitação psicomotora (muitas vezes acompanhados de atitudes agressivas sem um sentido aparente), e/ou outras, em que a pessoa parece ter perdido o contato com a realidade consensual - como se a sua mente estivesse sofrendo um mau funcionamento massivo. A definição proposta não foi atrelada à noção de doença ou anormalidade, mas delimitada à noção mais geral de sofrimento, infortúnio, aflição, mal-estar. Embora os professores Sateré- Mawé tenham negado a loucura em sua sociedade, no sentido com que a conheceram na visita aos internos no Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, eles não afirmaram a inexistência de experiências cuja manifestação definimos como loucura. Delimitamos como objetivo geral compreender dialogicamente experiências Satere Mawe da loucura; e, como objetivos específicos, conhecer explicações, classificações e respostas Satere Mawe para essas experiências; e identificar implicações do atendimento em serviços de saúde mental da tradição biomédica. Para um diálogo intercultural optamos pelo caminho da hermenêutica diatópica, através do desenvolvimento de argumentações com indígenas Sateré-Mawé que exercem diferentes papéis sociais em suas aldeias. Os diálogos foram realizados em duas fases: uma preliminar, para o início da construção da zona de contato; e outra para ampliação dos topoi/argumentos das tradições culturais Ocidental e Sateré-Mawé; classificação e definição dos topoi/argumentos Sateré-Mawé; e observação e acompanhamento de casos. O diálogo desenvolvido informou-nos sobre diversas categorias Sateré-Mawé de mal-estar, dentre as quais destacaram-se mikyry\'iwo hap/judiação e mimoko\'i como as mais próximas de uma delimitação psíquica da experiência, postulada pela Psicologia. Além disso, possibilitounos observar que, nas fronteiras em que as práticas de saúde da tradição biomédica penetram o universo Sateré-Mawé, a ênfase colocada na utilização de remédios, para tratar o sofrimento mental, denuncia uma ausência na explicitação de outras circunstâncias que devem estar presentes no atendimento a pessoas que vivenciam esse tipo de problemática.
Keywords: Amazonas
Brasil
Índios Sul-Americanos
Região Norte
Saúde de Populações Indígenas
Região Amazônica
Saúde Mental
Psicologia
Sateré-Mawé
Pesquisa Qualitativa
Antropologia da Saúde
DeCS: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Amazônica
Psicologia
Antropologia da Saúde
Pesquisa Qualitativa
Issue Date: 2010
Citation: JOSé, Ermelinda do Nascimento Salem. Encontro com o povo Sateré-Mawé para um diálogo intercultural sobre a loucura. 2010. 214 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010
Place of defense: Ribeirão Preto
Defense institution: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras.
Copyright: open access
Appears in Collections:ASMT - Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
348401382.pdf12.22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.