Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/791
Título: Representações sociais do cuidado entre trabalhadores que atuam em contextos de interculturalidade na atenção à saúde indígena
Orientador: Shimizu, Helena Eri
Autor(es): Falkenberg, Mirian Benites
Resumo: Esta pesquisa, de abordagem qualitativa, analisou as representações sociais do cuidado em saúde entre trabalhadores que atuam em Equipes Multidisciplinares deSaúde Indígena (EMSI), na atenção à saúde da população indígena Mbyá-Guarani doDistrito Sanitário Especial Indígena Litoral Sul do Rio Grande do Sul (Dsei LitoralSul/RS). Teve como objetivos específicos identificar os conteúdos das representações sociais para melhor compreender as práticas de cuidado em saúde nos contextos de interculturalidade estudados e, a partir disso, discutir potencialidades e limitações às mesmas, na perspectiva do cuidado como ação integral. Utilizou como referencial teórico e metodológico a Teoria das Representações Sociais (TRS), de Serge Moscovici. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e observação participante. Foram entrevistados trabalhadores de saúde não indígenas(enfermeiros, dentistas, técnicos de enfermagem) e trabalhadores indígenas (AgentesIndígenas de Saúde AIS e Agentes Indígenas de Saneamento - AISAN) formalmente contratados para atuarem em três EMSI, cada uma delas atendendo, respectivamente, a 3 polos-base do Dsei Litoral Sul/RS, localizados nos municípiosde Barra do Ribeiro, Osório e Viamão. Os dados foram analisados com apoio dosoftware Analyse Lexicale par Contexte d um Ensemble de Segments de Texte(ALCESTE), Versão 4.10, que permite extrair e organizar as estruturas mais significativas contidas no texto das entrevistas e a informação mais essencial nele inserida. Os resultados indicaram que os profissionais de saúde representam o cuidado em movimentos constantes de tensão ligados às seguintes categorias: i tensão entre o uso de práticas da medicina tradicional ou de práticas da biomedicina;ii tensão entre manutenção da cultura tradicional, objetivada como mundo , ou mudanças impostas pelo contato interétnico iii centralidade da família Mbyá para aspráticas de cuidado e tensão entre prazer e sofrimento; iv tensão entre modelos ideais e modelos reais de organização dos serviços. Discutiu-se que as dificuldades dos trabalhadores em efetivar práticas de cuidado integrais estão relacionadas, principalmente, a uma visão estática de cultura, descontextualizada de processos sociais, econômicos e políticos de violência estrutural infringido às famíliasMbyá-Guarani. Como potencialidades, existem experiências pontuais de diálogo,negociação, inclusão de saberes e necessidades dos indígenas, mas os trabalhadores ainda precisam encontrar formas de desenvolver seu protagonismo para alcançar práticas de cuidado integrais.
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Sul
Assistência à Saúde
Rio Grande do Sul
Mbyá-Guarani
DeCS: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Assistência à Saúde
Data do documento: 2014
Referência: FALKENBERG, Mirian Benites. Representações sociais do cuidado entre trabalhadores que atuam em contextos de interculturalidade na atenção à saúde indígena. 2014. 146 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) -Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2014
Local de defesa: Brasília/DF
Instituição de defesa: Universidade de Brasília
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:AS - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
824642098.pdf3.87 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.