Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ds.saudeindigena.icict.fiocruz.br/handle/bvs/832
Título: Prevalência da síndrome metabólica no envelhecimento indígena
Orientador: Machado, Denise Cantarelli
Autor(es): Rocha, Ana Karina Silva da
Coorientador: Bós, Ângelo José Gonçalves
Resumo: A prevalência da síndrome metabólica (SM), encontrada em diferentes estudos tem ampla variação dependendo da população e do critério de diagnóstico utilizado. A SM é caracterizada por alterações no metabolismo glicídico, obesidade, hipertensão e dislipidemia. A presente pesquisa teve por objetivo descrever a prevalência da SM em indígenas de meia idade e idosos rurais e urbanos do sul do Brasil. Este é um estudo de corte transversal descritivo analítico, realizado nos municípios de Porto Alegre e Nonoai-RS, Brasil do qual participaram 150 indígenas com 40 anos ou mais. A prevalência da SM foi estimada aplicando os critérios diagnósticos do National Cholesterol Education Program - Adult Treatment Panel III. Foram realizados testes bioquímicos, antropométricos e um recordatório alimentar de 24 horas, analisado conforme fatores de frequência associados ao hábito saudável de alimentação por meio da observação da adesão aos 10 passos para uma alimentação saudável propostos pelo Ministério da Saúde. A prevalência da SM foi de 65,3% sendo mais prevalente no sexo feminino. Emborra não tenha sido detectado uma diferença estatisticamente significativa, provavelmente decorrente da discrepância do número amostral, houve maior prevalência da SM em indígenas do meio rural. Os valores para SM, a hipertensão, triglicerídeos, os níveis de HDL, a circunferência abdominal e a glicemia foram significativos. Em relação ao recordatório alimentar, observou-se que as pessoas com SM apresentaram piores resultados em 5 dos 8 passos para uma alimentação saudável avaliados: consumo de vegetais/frutas e legumes, consumo de doces, álcool e refrigerante, peso saudável e atividade física. Acredita-se que a educação para a saúde dos indivíduos portadores de SM seja o melhor caminho para o controle desse problema desde que se promova a sua adequação aos indígenas com SM e a motivação para mudanças de hábitos melhorando a qualidade de vida.
Palavras-chave: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Região Sul
Síndrome X Metabólica
Exercício
Envelhecimento
Geriatria
DeCS: Brasil
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Síndrome X Metabólica
Exercício
Envelhecimento
Geriatria
Epidemiologia
Data do documento: 2009
Referência: ROCHA, Ana Karina Silva da. Prevalência da síndrome metabólica no envelhecimento indígena. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.
Local de defesa: Porto Alegre/RS
Instituição de defesa: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Direito autoral: open access
Aparece nas coleções:EPI - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
037733214.pdf6.78 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


O uso do material disponibilizado neste repositório deve ser feito de acordo e dentro dos limites autorizados pelos Termos de Uso.